domingo, 16 de maio de 2010

Nariz de Palhaço

Jeito bom. Parece estranho, mas faz tão bem. De longe nem se nota e de costas alguém completamente normal. Porém, assim de frente, tudo se descobre, transparece; transcende.

Daí nasce o novo que não pede passado e não padece. Novo que transforma a visão da realidade e cria um universo próprio, subverte. E cresce a ingenuidade passiva, passível de ignorância e felicidade; possível.

Graças ao meu nariz de palhaço.

Sonhando com a vida e vivendo através dos sonhos. Sonho de criança que soa meândrico, mas não é. Enlouquece. Tem sentido e não segue direção alguma, mas mostra sentimento; permanece.

Não tem razão de ser e existe mesmo assim. Só encontra objetivo no que está ali, distorcido; mas ali. Encontra-se onde se vê, existe no presente e não pensa no depois; resiste.

Graças ao meu nariz de palhaço.

Sensibilidade à flor da pele e uma pequena flor na cabeça. Peso equilibrando momentos que oscilam entre alegrias e tristezas sem nem mesmo perceber. Sem se corroer, porque se for para sentir, sinta com pureza; sinta de verdade para ficar e marcar apenas o tempo definitivamente; destreza.

Força provém do carinho. Disposição, em cada abraço. Estímulo alcançado em todos os sorrisos e todas as gargalhadas.

Graças ao meu ser palhaço!

3 comentários:

pri disse...

lindaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!!!!!!!

vai ser a escritora mais famosa do brasil!!!!!!!!!! e pra mim já tá no patamar!

te amo de mais! li os outros textos, ficaram sensacionais!
te amo lu, obrigada por ser tao pra sempre pra mim!
te amo!

ingsmx25 disse...

Demais Lud, lindo demais!

Marcelo

joaofoti disse...

ainda bem que existe gente assim no mundo...